A sangria é uma bebida de origem plebéia, parente muito afastada dos coquetéis mais reputados e cosmopolitas e, por tudo isso, não consta do reputado acervo dos coquetéis. Pode-se atribuir a origem da sangria ao Sul da Península Ibérica, especialmente à Região da Andaluzia, onde os andaluzes mais velhos conhecem a sangria das tascas e associam-na, quase sempre, às artes da tourada: Sangre del Toro (Sangue do Touro).

Em Portugal  tradicionalmente adicionam-se especiarias (pau de canela) e ervas aromáticas frescas (hortelã). Em algumas versões de sangria costumam-se misturar também vários tipos de bebidas alcoólicas, por exemplo, Licor Beirão ou Macieira. Em Portugal existem várias variedades de sangria algumas em vez de utilizarem vinho utilizam champanhe com frutos vermelhos, como bagas de groselha, mirtilo e framboesas.

A sangria espanhola é como a nossa caipirinha, não é só uma bebida é uma tradição.

Vou ensinar a vocês a receita do chef Juliano Valese, a sangria de cava, uma espécie de espumante espanhol.

 Sangria, a deliciosa bebida espanhola

 

INGREDIENTES

– 2 morangos
– 5 uvas
– ½ pêssego
– ½ maçã
– 180 ml de cava (espumante espanhol)
– 20 ml de Cointreau
– 300 ml de água gaseificada
– Gelo a gosto

PREPARO
Corte as frutas em forma de lâminas, coloque-as em uma taça e acrescente gelo. Adicione o cointreau, a água gaseificada e a cava, misture e sirva