Um estabelecimento comercial de renome da região central de São Paulo vendia chope “pirata” aos clientes.O delegado responsável pelo caso afirmou que o Bar Leo, que fica na rua Aurora, na Santa Ifigênia, comercializava, no lugar do chope Brahma, a bebida da marca Ashby. A compra do produto “genérico” custaria cerca de 60% mais barato.

doleo pi Tradicional bar em São Paulo vendia chopp pirata

Bar do Léo em dia de movimento

Nilson de França que é gerente do bar foi levado para a Delegacia de Saúde Pública da cidade de São Paulo. Segundo a polícia, ele era o responsável por comprar o chope Ashby e vendê-lo como Brahma. O delegado Marcelo Jacobucci, também da delegacia de saúde pública, esclaresceu que os donos do bar também responderão pelo crime contra as relações do consumidor, porque “tinha conhecimento do esquema” da alteração das bebidas.

Com esse caso, fica a lição de sempre procurar a procedencia do chopp que você consome. E procure bares de sua extrema confiança.

COMENTÁRIOS