para nós que bebemos, só existe uma única verdade incontestável nesse mundo: todos nós morreremos um dia…, mas NUNCA por causa do álcool…!, apesar de algumas vezes ele estar diretamente ligado à causa-mortis. Nossas mães, que se acham oráculos da verdade e da sabedoria, vivem enchendo nossa paciência, insistindo para que deixemos de exercitar nossos paladares etílicos, inclusive com ameaças do tipo “vou te colocar pra fora de casa!”, “se não parar de beber, corto tua mesada!” ou a mais cruel de todas, coisa que não se diz nem ao seu pior inimigo, “amanhã você vai arrumar um emprego!”. Pois bem mães, leiam com atenção o que se segue.

Historicamente falando, o emprego do álcool no tratamento das mais diversas enfermidades, sempre foi explicitado em documentos, papiros, tábuas, e-mails, twitter, Orkut, facebook ou qualquer outra forma primitiva de comunicação. Sua utilização como desinfetante para ajudar na cura das feridas dos gladiadores, era quase uma norma médica. Até o século XVIII, muitos preferiam utilizar o vinho à água, uma vez que essa era constantemente contaminada. É seguro dizer, que no meio científico a bebida que desperta maior curiosidade e encantamento dos pesquisadores na atualidade é o vinho. Não apenas pelo fato dele ser uma bebida alcoólica, mas sim pela sua composição no geral, com presença de diversos antioxidantes pertencentes a classe dos polifenóis (flavonóides, taninos, catecinas e etc). consumido com moderação (30g homem/15g mulher) o vinho pode prevenir diversas doenças coronarianas, uma vez que diminui o nível de colesterol LDL (ruim) no sangue, e em contrapartida aumenta os níveis de colesterol HDL (bom) no mesmo. Doenças cerebrais como Alzheimer, respiratórias, digestivas, urinárias e até mesmo o diabetes podem ser evitadas com o consumo moderado de vinho.

Taca Vinho O álcool e seus benefícios na saúde do homem

trans O álcool e seus benefícios na saúde do homem

Aproximando mais esse debate para nossa realidade, a bebida favorita de 90% de todo bom brasileiro é a cerveja. Pois bem amigos, aquela geladinha também pode ser uma boa fonte alternativa de saúde. O raciocínio é o mesmo do vinho, com doses diárias de 30g (aproximadamente 3 copos), e seus efeitos benéficos também são bastante parecidos, como prevenção de doenças coronarianas, cerebrais, diabetes dentre outras. A diferença, é a fonte pela qual tais benefícios são adquiridos, uma vez que na cerveja, as substâncias antioxidantes e vitaminas absorvidas, são provenientes dos cereais maltados empregues na sua fabricação. Vale ressaltar também, que o consumo moderado de cerveja ajuda na prevenção da infecção pela bactéria Helicobacter Pylori, causadora de úlceras estomacais e potencial fator de risco de cancros do estômago.

Os efeitos benéficos proporcionados pelo uso consciente do álcool (vale dizer mais uma vez, “uso consciente”) são inúmeros, e a cada dia, mais e mais vantagens vêm sendo estudadas e comprovadas. Portanto amigos, agora vocês já têm argumentos suficiente para lotar a geladeira de casa com cerveja, e se a sua mãe quiser discutir bebida contigo, dizendo que beber um dia vai te matar, mostre esse texto a ela, talvez ela perceba que você não é tão mal de saúde assim, e que a saúde dela talvez não esteja tão boa quanto pensa…