“Toca Raul!” Talvez essa seja a frase mais odiada – ou não – pelos músicos que se apresentam em bares. Não por má vontade em tocar Raul, mas pela freqüência com que essa frase é repetida. Um clichê.
Mas além de Raul, o músico de barzinho também recebe dos mais variados pedidos de clientes em um bar e, se tal músico não for um artista com repertório próprio que seja a atração da noite e só interprete canções alheias, tem que ter um vasto repertório, as chamadas “cartas na manga” e o dom de improvisar para poder agradar gregos e troianos. Pensando nisso, o Música Para Beber de hoje lista cinco clássicos insistentemente pedidos e executados em bares para alegria daqueles que apreciam uma boa bebida com um bom som.

O Som do Barzinho2 280x197 Música para beber: Músicas de Barzinho

Violão, petisco e cerveja... uma ótima combinação!

 

1 – “O Segundo Sol” – Cássia Eller

 

Você deve estar pensando: “Pô, mas essa é do Nando Reis!” Mas essa música é mais conhecida na voz da doidona Cássia Eller e é uma das cartas na manga de todo músico de bar que se preze quando alguém pede “Toca Cássia Eller!”, além de ser também um clássico do pop rock brazuca!

 

2 – “Oceano” – Djavan

 

Outro belíssimo clássico que é presença garantida no repertório de 98% dos músicos de bar. Sim, conheço alguns músicos que, como eu, recusam-se a tocar por ser a mais música manjada de bar. Sem contar que quase todo o repertório do Djavan é uma espécie de requisito mínimo para um músico se apresentar num bar.

 

3 – “Telegrama” – Zeca Baleiro

 

O jogo de palavras de Zeca na letra desse clássico é de entortar os neurônios de alguém que esteja num estado etílico elevado. Mesmo assim é uma das músicas mais aclamadas nos bares da vida…

 

4 – “Wish You Were Here” – Pink Floyd

 

Saindo um pouco do terreno da MPB e partindo pro rock internacional.

 

5 – “É Isso Aí” – Seu Jorge e Ana Carolina

 

Nem vou discutir aqui se Jorge e Ana melhoraram o que era ruim ou pioraram o que era bom. O fato é que eu já vi nego chorar no bar abraçado com um copo de cerveja ao escutar essa versão brasileira de “The Blower’s Daughter” de Damien Rice…

 

UMA DICA: Anote essas 5 canções e peça-as na próxima vez em que for a um bar com música ao vivo… o músico vai te adorar (ou não)!