Assim como toda pessoas de excelente gosto você também gosta de uísque, mas é acha meio absurdo pagar centenas de reais por uma garrafa com idade para poder dirigir. Devido as essas circunstâncias você encara apenas aqueles uísques que levam suas amigdalas junto quando você degusta? Bom, pode preparar um altar no canto do bar para o químico aposentado chamado Orville Tyler.

Ele criou o processo chamado TerraPure, que envolve bombear o uísque em câmaras oxigenadas, que o submete a “energia ultrassônica de alta intensidade”, que ativa a esterificação, o processo que cria as lactonas de sabor enquanto o uísque é desidratado.
Segundo relato das cobaias, o resultado é uma bebida é um pouco menos amarga do que o uísque comum, e o sabor desce fácil. É um tipo de cheat de bebida, mas seria divertido transformar aquele uísque vagabundo em uma bebida de primeira, não?

Ai fica aquele debate, será que vale o mesmo do natural ou é como os diamantes produzidos em laboratório?