martini 255x300 O Drink do James Bond Um drink sofisticado, clássico, amado e requisitado por todos, com uma receita simples o Dry Martini tornou uma bebida obrigatória em todos os bares mais sofisticados.

O Dry Martini é um drink consumido mundialmente, esse drink imortalizado nos filmes do espião inglês gostosão, Bond, James Bond.

O nascimento desse drink em 1910, no Hotel Knickerbocker, de Nova York, pelo barman Martini de Arma di Taggia, e é aristocrático em sua origem. Ele surgiu por exigência do magnata norte-americano John D. Rockefeller, que queria degustar um drink ao mesmo tempo simples e sofisticado. Barman experiente, Martini testou várias combinações até chegar a esta criação, que conquistou Rockefeller e os demais freqüentadores do hotel, como o tenor Enrico Caruso. A partir daí, a combinação de gim, vermute e azeitona conquistaram o mundo. \0/

bond 199x300 O Drink do James Bond

Até os dias de hoje, uma grande polêmica impera sobre a receita original do Dry Martini. Sempre surgiram dúvidas sobre a quantidade correta de gim e vermute que devem ser colocados na bebida, na mesma dosagem feita pelo criador do drink. Esta questão, aliás, não chega a ser esclarecida no livro do norte-americano John Doxat, Stirred, Not Shaken (Mexido, Nunca Agitado, em português). O escritor relata que a quantidade ideal do vermute, para uma dose de gim, é apenas a da sombra da garrafa sobre o copo, ou seja, apenas “um cheiro”. Esta controvérsia também faz parte das páginas de outra obra literária, desta vez do grande cineasta espanhol Luis Buñuel, fã ardoroso da bebida. Em seu livro de memórias, Meu Último Suspiro, a receita descrita por ele continha poucas gotas de vermute Noilly Pratt sobre pedras de gelo. A dose de gim era acrescentada depois. O personagem James Bond degusta uma variante da bebida em todos os filmes da série, que levava vodca e vermute, “sempre batido”.

Polêmicas e receitas diferenciadas à parte, o Dry Martini tem uma obrigatoriedade: deve ser bem seco e servido em uma taça de haste fina e borda delicada. Os apreciadores da bebida dizem que essa característica dá um “sabor de viagem” ao drink, pois nasceu em uma das cidades mais cosmopolitas do mundo, a democrática e multifacetada Nova York.

Em 007 Cassino Royale, recém lançado nos cinemas e cronologicamente o primeiro filme da série, o espião James Bond cria na sua estréia como agente secreto a receita do drinque preferido, o Vesper Martini. Em meio a um tenso jogo de pôquer, Bond pede ao barman um dry martini com “três doses de Gordon’s, uma de vodka, meia de Kina Lillet, batido e servido com gelo e uma raspa fina de casca de limão”. Outros jogadores resolvem experimentar a novidade e desviam a atenção do vilão, Le Chiffre. Posteriormente, 007 dá ao drinque o nome da bond girl do filme, Vesper Lynd.

No total, o martini é degustado por Bond em 22 oportunidades nos filmes da série, seja na companhia de uma bond girl, de um vilão ou de outro agente secreto. A marca SMIRNOFF aparece claramente nos longas 007 Contra o Satânico Dr. No (Dr. No – 1962), 007 Contra a Chantagem Atômica (Thunderball – 1965), 007 Os Diamantes São Eternos (Diamonds are Forever – 1971), 007 Contra Octopussy (Octopussy – 1983), 007 Nunca Mais Outra Vez (Never Say Never Again – 1983), 007 Contra GoldenEye (GoldenEye – 1995), 007 O Amanhã Nunca Morre (Tomorrow Never Dies – 1997), 007 O Mundo não é o Bastante (The World is not Enough – 1999) e 007 Cassino Royale (Casino Royale – 2006).

Desde o primeiro filme da série, a vodka usada por James Bond em seu martini é a SMIRNOFF. A parceria começou há 40 anos e continua agora em 007 Cassino Royale..A DIAGEO, detentora da marca, investiu US$ 10 milhões para promover SMIRNOFF novamente num filme de 007. A ação envolve campanha publicitária global, promoções e um site interativo de 007 Cassino Royale

Ingredientes
1 dose de Gim
5 gotas de vermute
6 pedras de gelo

Preparo
Primeiramente, deixe a taça no congelador por alguns minutos. Enquanto isso, prepare o drink no copo-misturador, mais conhecido como mixing glass. Ponha entre quatro e seis pedras de gelo inteiras, evitando pedaços picados, pois eles derretem facilmente. Retire o excesso de água das pedras do gelo. Despeje uma dose generosa de gim (inglês, de preferência) sobre o gelo. Em seguida, acrescente cinco gotas de vermute, de preferência o clássico francês Noilly Pratt. Com uma colher longa (mais conhecida como bailarina), mexa o conjunto com movimentos rápidos e vigorosos. O drinque é apenas mexido, nunca batido. Retire a taça do congelador e despeje o líquido utilizando um coador de bar. Para decorar, corte uma fina casca de limão, sem a polpa branca, torça a casquinha para que o sumo do limão caia sobre a mistura. Por fim, espete uma azeitona verde em um palito, coloque-a no fundo da taça, sirva e divirta-se.

COMENTÁRIOS