Nem só de beber vive o homem.  Com essa lógica trabalha o Comida di Buteco. Infelizmente não pudemos ter nenhum enviado especial para a cobertura do evento mas não podíamos deixar passar em branco o resultado desse campeonato que é o orgulho de todo mundo que aprecia uma boa bebida.

Mas antes um pouquinho de história

CdB logo Conheça os vencedores do Comida di BotecoA história do Comida di Buteco começa em 1999, quando Eduardo Maya – então produtor e apresentador do programa “Momento Gourmet”, da extinta Rádio Geraes FM – apresentou à emissora a proposta de um concurso que elegesse o melhor tira-gosto de boteco da capital. A idéia logo ganhou a adesão de João Guimarães – proprietário da emissora – e de Maria Eulália Araújo – diretora-executiva da rádio – que, imediatamente, sugeriu o nome do evento.

A primeira edição aconteceu no ano seguinte (2000), em Belo Horizonte, com apenas 10 botecos participantes. O resultado foi melhor que o esperado, com sucesso de público e crítica. Nos anos seguintes, o Comida di Buteco só cresceu, mesmo com o fim da Rádio Geraes FM, em 2005, se tornando uma empresa independente.

A cada ano, mais e mais pessoas se envolviam no concurso, transformando o Comida di Buteco em referência nacional. Em 2008, o concurso entrou no conceituado Guia 4 Rodas (Editora Abril) e passou a ser realizado em diversas cidades do interior de Minas Gerais e em outros estados. Neste ano também, dois novos sócios se uniram ao projeto: Ronaldo Perri e Flávia Rocha, com a missão de expandir o conceito a outras praças.

Os números atuais do Comida di Buteco impressionam, o evento está presente em 11 cidades e, só em Belo Horizonte, o público participante é estimado em cerca de 800 mil pessoas por edição, com mais de 160 mil votos nos pratos participantes (Vox Populi / 2010).

A festa “A Saideira” – que tradicionalmente marca o encerramento e a premiação do concurso – se tornou um dos eventos mais esperados da cidade e recebe mais de 26.500 botequeiros nos dias em que é realizado.

O Comida di Buteco se tornou também um fenômeno de comunicação. Em 2010, a mídia espontânea do projeto superou o valor de 16 milhões de reais, tendo o Comida di Buteco figurado nos principais veículos da mídia nacional e importantes publicações internacionais, como o NYTimes e La Nacion.

Vamos aos vencedores..

Em Belo Horizonte/MG, berço das festividades  a festa foi do Bar do Zezé, primeiro lugar com “Sonho meu“. O petisco serve uma porção de músculo cozido, acompanhado de feijão andu, calabresa, bacon e mandioca amarela na manteiga de garrafa.  Também homenageando a culinária do Vale do Jequitinhonha, tema desta edição,  o Autêntico’s Bar garantiu o segundo lugar ao criar o “Comer, rezar e amar“, mesclando costelinha de porco empanada com farofa de pequi, acompanhada de purê de mandioca com manteiga de garrafa e requeijão escuro.

abb2b92b434ae81a62dba7b83cd8cb28 Conheça os vencedores do Comida di Boteco

O Bar da Lora ficou com a terceira colocação com “Não acredito“, uma mistura de carne de sol, linguiça defumada, mandioca na manteiga de garrafa, requeijão do Norte mineiro, acompanhados de molho de siriguela, melaço de rapadura e farinha de pequi. A quarta colocação foi do Curin Bar, que criou o “Tagarela“, língua de boi serenada e defumada com melado (caldo) de rapadura, cerveja preta, cebola, pimentão, creme de pequi, pimenta, batata cozida e carne de sol desfiada. O Boteco da Carne ficou com q quinta posição. Seu “Quatro de Ouros” é um filé em cubos, paçoca de carne de sol com manteiga de garrafa, lombo apertadinho, molho de rapadura e purezinho com requeijão de raspa.

Já em Salvador o bar Escondidinho venceu a edição com o petisco “Na Moita“, um escondidinho de aipim com recheio de carne fumeiro, maxixe refogado na maionese com camadas de queijo mussarela. “O maxixe não é comum, entra só na maxixada e nem todo mundo gosta. Então, o grande desafio foi fazer um prato diversificado e bem aceito pelas pessoas”, explicou Maria Vitória, proprietária do bar, em entrevista ao site da Bahiatursa, a Secretaria de Turismo da Bahia.

bohemia comida di buteco salvador lulasbar 538x347 Conheça os vencedores do Comida di BotecoMaxixê – Petisco que ficou em segundo lugar

O Lulas Bar ficou com o segundo lugar. Seu “Maxixê” contém maxixe cozido e recheado com arroz e carne moída, coberto por molho de tomate e queijo muzzarela. Com “Palitinho al mare com maxixe“, a Cantina do Julliu’s levou o terceiro prêmio. A receita consiste em palitinhos de camarão e polvo com maxixe ao molho de ervas com maionese. O quarto colocado, “Piriguete“, do Jô da Bahia, é um salgado elaborado com massa cozida, empanado na tapioca, recheado com carne e maxixe. Em quinto, o Bar do Peixouto elaborou o “Peixixe no Arpão“, que leva maxixe recheado com bacalhau, azeitonas verdes e pretas, ovo de codorna, maionese, empanado na farinha de rosca e frito, servido em um espeto.

Durante o evento, os visitantes puderam conhecer no Box Bohemia os componentes de cada uma das variantes da bebida, sentir o cheiro dos ingredientes e assistir a um vídeo do mestre-cervejeiro sobre a Família Bohemia.  A visita pelo espaço foi acompanhada por aprendizes de mestre-cervejeiros.

Em breve colocaremos aqui os vencedores das outras 9 edições do Comida di Buteco!

COMENTÁRIOS