como acabar com a ressaca 300x252 Como curar ressacaSe você, nobre leitor, não for evangélico (sim, os católicos bebem), straight edge (não beber é tão estranho quanto o nome), pertencente à chamada “geração saúde” (aqueles que não agüentam beber e pra justificarem sua fraqueza dizem que querem viver mais) ou simplesmente por algum defeito genético não gosta de beber, você já deve ter ouvido falar na temida “ressaca”, ou até mesmo conhecê-la intimamente.

A “ressaca” , cientificamente falando, é conhecida como veisalgia, e sucintamente consiste em um estado de desidratação do corpo (aquelas inúmeras idas ao banheiro durante as festas não são coincidência), com todos os sintomas que tal estado provoca no organismo, como hipoglicemia, boca seca, dores de cabeça, sensibilidade a luz e ao barulho, muita sede, disforia (alternância repentina do estado de ânimo), vômito e etc. quando se está “ressaqueado”, nosso organismo está intoxicado por acetaldeído, que é o produto originado do metabolismo do álcool realizado pelo fígado. Ao ingerirmos bebida alcoólica em grande quantidade nosso fígado trabalha excessivamente na produção de enzimas que facilitem a absorção do álcool, para futuramente o mesmo ser excretado pela bile. Ao término do trabalho, o fígado acaba por se sentir “deprimido” com a ausência do álcool, e é justamente nesse momento que todo o metabolismo está desorganizado e todos os sintomas anteriormente citados aparecem.

Existem algumas lendas sobre a ressaca que são extremamente estapafúrdias, porém, existem outras que, mesmo não sendo inteiramente verdadeiras, possuem sua “dose” de verdade (dose, entenderam?). sem se apegar ao que realmente é lenda, é muito mais proveitoso citar alguns métodos e fatos cientificamente comprovados sobre como se prevenir e ajudar na amenização dos sintomas da ressaca, uma vez que curá-la por completo só com ajuda divina. Então, vamos aos fatos:

  • Fato 1: sim, é possível evitar a ressaca: uma das boas formas de se evitá-la é se alimentando bem, dessa forma, a “marvada” entra mais lentamente na sua corrente sanguínea. Mas vale ressaltar a melhor e também a mais cruel maneira de se evitar a ressaca: não beba!
  • Fato 2: após a bebedeira…, beba mais: água…, pra você que ficou alegre pode ir desanimando. A água continua sendo  uma das grandes alternativas para bebuns e afins, afinal de contas seu corpo está desidratado então, faça um tremendo esforço e tome água.
  • Fato 3: tome um copinho de cerveja: pode parecer sacanagem ou coisa do tipo “tá no inferno, abrace o capeta” mas não é. Um copinho de cerveja no outro dia serve para tapear o fígado, ajudando na sua recuperação. É como ministrar doses homeopáticas de um medicamento até a cura completa da enfermidade.
  • Fato 4: não existe remédio milagroso para se curar ressaca: então tome engov só por desencargo de consciência.
  • Fato 5: repouso, hidratação e tempo: o melhor “coquetel” existente para ressaca (mais uma bela piada essa do coquetel). Tome bastante suco de frutas para repor as vitaminas e os sais minerais, e no que diz respeito a alimentação procure comer só quando sentir realmente necessidade. Ovos são uma boa dica, pois contém cisteína que combate a toxina acetaldeído, proveniente do metabolismo do álcool pelo fígado.

No mais, caros leitores, fica a velha e mais que batida frase dita no fim de cada propaganda de cerveja: “beba com moderação”. É bem manjada mas é extremamente útil, e pode ser acompanhada de outra tão inédita quanto ela: “se beber, não dirija”.