Se alguém te perguntar se pode haver consumo de bebida alcoólica durante a gestação sua resposta certamente seria não, certo? Mas não é bem assim. Como não existem comprovações experimentais  quanto o consumo de álcool durante a gestação pode afetar o desenvolvimento de um bebê ninguém quer assumir o risco e a orientação, até do Ministério da Saúde, vetar. Assim como o uso de telefones celulares em aviões e outras coisas que ninguém arrisca a dar certeza.

Mas um grupo mais corajoso de pesquisadores publicaram uma pesquisa no Journal of Epidemiology and Community Health  alegando que beber até dois copos de bebida alcoólica por semana durante a gravidez não representa um risco para a criança. E ainda assumiram que as crianças nascidas de mães que consumiram álcool no período gestacional são menos suscetíveis a ter problemas comportamentais e tem melhores resultados em testes cognitivos. Já as crianças de mulheres que bebiam em excesso tinham mais chance de apresentarem déficit de atenção.

Os cientistas basearam o estudo analisando a saúde e o comportamento de 1.628 mulheres e seus filhos, desde a gravidez até as crianças completarem 5 anos. As mães avaliaram o próprio consumo de álcool durante os 9 meses de pré-natal. Elas foram classificadas entre as que não bebiam nada, as de consumo leve (cerca de uma a quatro doses por semana), moderado (que bebiam entre cinco a oito doses por semana) e as alto de alto consumo (mais de nove doses por semana).

Antes acreditava-se que poderia ser prejudicial ao bebê independente da quantidade absorvida Quando a grávida ingere uma bebida alcoólica, as substâncias presentes no líquido são transferidas para o feto pela placenta. Com o organismo ainda em formação, o bebê tem menos capacidade de lidar com o álcool. Mas foi observado que os problemas emocionais e de comportamento, no entanto, foram vistos apenas em filhos de mulheres com o costume de exagerar constantemente da bebida.

alcoolgravidez Bebida e gravidez

Álcool e gravidez: Vale o risco?

Apesar da pesquisa, vale salientar que o termo “beber com moderação” varia de pessoa para pessoa. O álcool tem efeitos diferentes de pessoa para pessoa. Isso sem entrar nos paramêtros de formação celular e desenvolvimento do feto. Mesmo sendo entusiastas do álcool, nós do Etílicos.com acreditamos que não é recomendado o consumo de bebidas por gestantes. São apenas 09 meses de abstinência que só valem para a segurança da vida que está para chegar.

Lembre-se que existem muitas opções refrescantes e gostosas não alcoólicas, como as sodas italianas, águas saborizadas